As nossas Quintas

O Douro é território vinha e vinho onde a videira traduz a terra nos seus néctares

O Douro é território vinha e vinho.

AS NOSSAS QUINTAS

São noventa hectares, distribuídos por quatro Quinta de vinhas de castas autóctones, com idades compreendidas entre 30 e 40 anos, e produções da ordem das 450 toneladas de uvas, destinadas a Vinho do Porto e a DOC Douro, situadas na margem direita do Rio Douro.

O solo, pertence à formação geológica do Complexo Xisto Grauváquico – Grupo do Douro – e a sua relação íntima, com o microclima, o seu “Terroir”(ii), caracteriza-se por invernos muito frios e verões muito quentes e secos, que propiciam a excelente maturação das uvas e consequentemente vinhos de grande qualidade.

Mas são ainda, os locais de produção, a par da riqueza da nossa Região, que o Douro se distingue, nos seus vinhos, em função da altitude, ou seja, da sua maior ou menor exposição aos ventos húmidos do Atlântico.

E é assim, e por isso, que a diferença que caracteriza o perfil e a qualidade dos nossos vinhos, assenta na exposição, altitude e microclima do local onde são produzidos,

ou seja:

-Os Vinhos Tintos, “field blend”, são provenientes da combinação de uvas produzidas entre os 100 e os 600 metros, de altitude e microclimas distintos.

-Os Vinhos Brancos, são produzidos acima dos 450 metros de altitude, com exposições predominantes a norte, onde a maturação das uvas é lenta, sem perda de acidez.

 

(ii) “Terroir”, é uma palavra francesa sem tradução em nenhum outro idioma. Significa a relação mais íntima entre o solo e o microclima particular, que concebe o nascimento de um tipo de uva, que expressa livremente a sua qualidade, tipicidade e identidade de um grande vinho, sem que ninguém consiga explicar o porquê”, (in GuiaL arousse).

Quinta das Cabanas

Quinta da Bandeirinha

Quinta do Banco

Quinta do Canal

Castas Tintas

Touriga Nacional, Touriga Franca,
Tinta Barroca, Tinta Roriz e Tinto Cão

Castas Brancas

Malvasia Fina, Viosinho, Gouveio,Arinto,
Fernão Pires, Rabigato,Códega do Larinho,
Folgasâo, Sercial/Esgana-Cão e Samarrinho